Sobre O Doador de Memórias

    Olá, pessoas! Hoje falarei sobre um livro que li recentemente: O Doador de Memórias, de Lois Lowry. 



    A história é uma distopia, onde a sociedade é MUITO organizada, cada pessoa tem sua função e cada movimento é harmônico em seu devido tempo e lugar. Tudo é muito bem controlado. As pessoas são classificadas em anos, então existem as Crianças Novas, os Um, os Dois, os Três, até os Doze, que são os novos Adultos. Em cada ano as pessoas realizam uma cerimônia e quem era Nove se torna um Dez, quem era Dois se torna Três, etc, eles são aplaudidos juntos e recebem suas recompensas e novas obrigações. Depois de Idoso, existe a cerimônia de ser dispensado por ter vivido uma boa vida. Ninguém sabe o que acontece com os dispensados, mas ninguém também vai em busca de saber pois as emoções não existem, elas e as memórias foram tiradas das pessoas há muito tempo para que começassem uma nova sociedade perfeita, por escolha delas mesmo. Eles crescem acostumados com a vida automática e sem sentimentos e tomam algumas pílulas para conter hormônios que podem atrapalhar a harmonia.  Na cerimônia de virar Doze, os novos Adultos recebem seu novo cargo de serviço na sociedade depois de passarem a infância sendo observados pelos Anciãos e são colocados no melhor lugar onde suas habilidaddes e modos os encaixam.




    O livro conta a história de Jonas, um Onze, que tem uma irmã pequena, Lily, um Pai e uma Mãe em sua unidade familiar e dois amigos de infância, Fiona e Asher, também Onze. Jonas, às vezes, é observador demais, mas em todos os aspectos é igual as pessoas da sociedade. Sua cerimônia de Doze chega e ele é designado para ser o novo Recebedor de Memórias, um cargo de honra e único e que ele não sabe o que significa. Começando o treinamento, ele conhece o seu Treinador, o Doador de Memórias, que lhe explica que a sociedade nem sempre foi assim e que sua função é guardar todas as memórias do mundo no passado, boas e ruins, para aconselhar os Anciãos quando uma coisa diferente acontece na nova sociedade. 
    Jonas começa a receber as memórias e se torna outra pessoa, ele descobre que havia animais, cores, climas, emoções, sentimentos de verdade e também morte. O que mais me chamou atenção neste livro foi a forma como ele nos mostra que estamos tão acostumado com emoções que não percebemos o quão essenciais elas são, o livro apresenta sensações a Jonas que pra nós são tão banais, fiquei frustrada percebendo como seria sem essas sensações e ainda não tenho uma opinião concreta se eu gostaria ou não. 
    O livro é muito pequeno e basicamente a história é isso até mais da metade dele. Depois vemos as consequências do que a recepção das emoções leva Jonas a fazer, alguns momentos de adrenalina o esperam, por sua própria escolha
    Eu achei a sociedade muito bem formada e me lembrou um pouco o filme Equilibrium, onde as pessoas também vivem em uma sociedade futurística e tomam pílulas para não terem sentimentos, mas só essa ideia central é parecida, a história é bem diferente. O Doador de Memórias é uma história intermediária, com um final muito aleatório e um pouco mal explicado, mas não é ruim. Em algumas partes fiquei até entusiasmada, mas nada que durasse muito. Nota 3/5
   

    O livro foi adaptado para o cinema este ano e dou a mesma nota que dei ao livro para o filme, apesar de eles terem mudado quase tudo do livro, a essência foi a mesma. Jonas é interpretado por Alexander Skarsgard e temos alguns atores que gosto como Jeff Bridges (O Doador) e Meryl Streep (A Anciã chefe) e uma participação especial da Taylor Swift (♥ como Rosemary, a última Recebedora antes de Jonas, que fracassou). Quem quiser ver o trailer, segue abaixo:





2 comentários:

  1. Pois tai, falou tudo que eu achei sobre o livro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha quase sempre temos as mesmas opiniões <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.