Dica: A Ilha dos Dissidentes (Bárbara Morais)

O livro do Clube do Livro da Guttenberg no mês de agosto foi a distopia nacional Ilha dos Dissidentes, primeiro volume da trilogia anômalos, da jovem Bárbara Morais.


Imagem tirada do site da Editora Autêntica



Vou deixar um resumo da história aqui, para privar de eventuais spoilers:

Bem, há muito tempo atrás, assim que esse livro saiu, ouvi e li comentários super positivos acerca da história de Varuna. Na época eu tava na vibe de distopias, porém eram tantas, que Ilha acabou se perdendo na minha infinita lista de leitura. Agora, com o clube, tive a oportunidade de ler.

Pra ser sincero com vocês, eu não consigo mais me sentir conectado e tampouco tenho vontade de ler livros juvenis, são poucos os que me atraem agora. Cheguei em um ponto da minha vida como leitor que já li tanto, mas tanto YA que hoje tudo parece igual e os que pego para ler, não gosto, então estou evitando o gênero. Devido a ser o livro do clube, dei uma chance e acabei me deparando com uma história bacana.

Se você gosta de distopias, com certeza vai se apaixonar pelo mundo criado por Bárbara Morais. Tem tudo o que uma boa distopia precisa ter: ação, tiro, porrada e bomba. Além disso, entrelaçada à trama tem crítica social e política, apesar de não ser algo trabalhado minuciosamente. 

Junto a todos os ingredientes essenciais para uma distopia juvenil, Ilha dos Dissidentes traz algo que considero importantíssimo no universo YA: diversidade. Há uma representatividade significativa comparada a outros livros do gênero, em Ilha tem personagens que representam LGBTs entre outras minorias. Achei uma atitude admirável da Bárbara colocar personagens significativos que representam grupos que, quase sempre, são negligenciados pelos YA.

Sobre a escrita de Bárbara, eu achei bem comum. Comum até demais. Devido a isso e à história, as páginas fluem facilmente. Sobre a construção dos personagens, segue o mesmo padrão da maioria das distopias, o que os torna bem esquecíveis, mas durante a leitura, não tive muitos problemas com nenhum. Já sobre como a história se desenrola, acredito que não haveria maneira melhor de ser desenvolvida e trabalhada. Bárbara, no final das contas, fez um bom trabalho.

Em suma, A Ilha dos Dissidentes para mim, foi um livro OK, porém acredito que para quem está procurando uma nova trilogia distópica para se aventurar, a de Bárbara Morais é a pedida certa. 




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.