Entrevista com Clarice Freire (Pó de Lua)

Olá, pessoas, ainda estou em semana de provas e entrega de trabalhos, mas recebi da Intrínseca a entrevista que fiz com a Clarice Freire, autora do Pó de Lua e Nas Noites Em Claro (que já falei aqui sobre), então resolvi tirar um tempinho para fazer este post <3. 

A Clarice é muito fofa e arrasou nas respostas, fiquei emocionada com o carinho dela! Espero que gostem :).

_




- Sou sua fã desde o início, fiquei muito feliz quando você lançou o primeiro livro, inclusive saí do enem para ir pegar seu autógrafo no lançamento lá em Fortaleza. Assim como eu, sei que existem várias outras pessoas que são fãs do seu trabalho. Como é para você ter o seu trabalho reconhecido dessa forma, ver que seus pensamentos e desenhos tão pessoais tocam tantas pessoas?

Antes de tudo, muitíssimo obrigada pelo seu carinho e pela grande gentileza, Alba! Que grande alegria é saber que pessoas como você se esforçam tanto para ir prestigiar um escritor, pegar um autógrafo. Viva a arte, não é?

Como me sinto, é até difícil de explicar. Meus leitores fazem de mim uma pessoa melhor. Acho que a poesia tem essa mágica de tocar sentimentos universais porque vem de dentro da alma para encontrar outras almas. Essa é, a meu ver, a comunicação mais alta que se pode ter: de alma para alma. Quando isso acontece, os seres "comunicantes" estabelecem uma conexão imediata. Hoje tenho consciência de que o amor que sinto pelos meus escritores favoritos vem disso. Eles parecem me ler por dentro, dizer coisas que meu silêncio guarda. Acho que meus leitores, talvez, sintam o mesmo em relação ao meu trabalho e isso não tem preço. Só tenho a agradecer. 


- Li os seus dois livros e sempre acompanho o seu trabalho. Sobre o seu lançamento, Nas Noites Em Claro, ele está muito mais desenvolvido do que o primeiro livro, com textos e sequências de poemas e pensamentos, com a questão dos horários da madrugada. Como foi pra você transformar as suas emoções nesse livro?

Foi um processo minucioso, profundo e revelador para mim. Com ele, aprendi a transformar noites escuras em poesia, a ver beleza na minha insônia e me permiti mergulhar na noite (tão íntima minha) junto com a imaginação. Moro no trigésimo segundo andar e a capa do livro é inspirada na vista da minha janela: centenas de prédios brilhantes. Meu desejo, muitas vezes, é sair vagando pela rua, encontrando o que a noite teria para dar. Com o Noites em Claro eu pude fazer isso por meio de uma personagem insone. Também foi bonito o processo de entender que sempre amanhece, que não existe escuro sem claro, dia sem noite. O trabalho com a ilustração foi também muito intenso, pois eu quis dar à imagem mais peso e cuidado. 


- Agora você já está fazendo turnê com o novo livro e juntamente com o Pedro Gabriel, do Eu Me Chamo Antônio. Vocês não têm planos de fazer um projeto juntos não? Seria lindo!

Seria mesmo! Nessas viagens conversamos muito, trocamos muitas ideias, inclusive. Seria lindo! Quem sabe?


- Até a próxima, Clarice. Desejo muito sucesso e tudo de bom!

Obrigada, querida! Muita Luz pra você!





_

Então, foi isso, espero que tenham gostado <3. Até mais !





2 comentários:

  1. Que incrível!! Amei!!
    Nunca li nada da Clarice, mas acompanho ela! Sempre tive vontade de conhecer um pouquinho dela e me apaixonei pela entrevista. Ela parece ser sensível e ao mesmo tempo muito intensa.
    Arrasou Alba!!
    Beijinhos!!

    http://leituraporexcelencia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabi!

      Pois corre pra ler os livrinhos dela porque são tão lindos e fofos quanto ela. Super recomendo!

      Obrigada por comentar! Beijos!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.